Divulgação e avaliação do trabalho científico – sensibilidades e práticas de investigadores portugueses da área da saúde

Sílvia Cardoso, Patrícia Almeida

Resumo


Num contexto de Acesso Aberto à informação e de acess revolution (1), os investigadores libertam-se de um meio fechado e, muitas vezes, pago, para produzir Ciência num ambiente livre e aberto a todos os públicos. Esta é a chamada Ciência Aberta, uma infraestrutura pragmática, pública e democrática (2). Aqui, existe partilha de conhecimento entre a comunidade científica, a sociedade e as empresas, com consequente ampliação do reconhecimento e do impacto social e económico da Ciência (3). Assim, entre diversas vantagens para os investigadores e para as instituições, a Ciência Aberta veio concretizar novos meios de divulgação e de avaliação do trabalho científico, nomeadamente através de altmetrics ou métricas alternativas, em português. Com estas métricas, é possível obter informação sobre o alcance e o uso de trabalhos científicos, que seriam muito difíceis ou até impossíveis de alcançar através dos métodos tradicionais (4). Daí que as métricas alternativas constituam um contributo significativo para a construção de um novo paradigma avaliativo em Ciência Aberta. Neste âmbito, em Portugal e nos últimos anos, registam-se progressos significativos, havendo diversas instituições académicas a dinamizar ações de sensibilização e de informação nas suas comunidades.

Com este enquadramento, mostra-se pertinente um estudo que tenha por objetivo aferir a sensibilidade e as práticas de investigadores portugueses, no que toca à divulgação e avaliação do seu trabalho em Ciência Aberta. Para tal, selecionaram-se, como amostra por conveniência, os professores dos cursos de Licenciatura em Enfermagem e em Fisioterapia da Escola Superior de Saúde de Santa Maria (Porto), onde um estudo de caso foi realizado. Em outubro de 2017, a biblioteca desta instituição de ensino levou a cabo uma iniciativa alusiva à Semana Internacional do Acesso Aberto, no sentido de sensibilizar e informar a comunidade académica sobre a importância da Ciência Aberta. Com este antecedente, foi pedido aos professores desta escola que respondessem a um pequeno questionário sobre esta temática. Neste trabalho e após uma introdução sobre Acesso Aberto, Ciência Aberta e métricas alternativas, serão analisados os resultados do questionário (em curso no momento presente) e obtidas conclusões de caráter probabilístico sobre as sensibilidades e as práticas de investigadores portugueses da área da saúde. Considera-se que os resultados desta investigação terão potencial informativo e poderão ser norteadores de futuras ações e investimentos em Ciência Aberta.

Palavras-chave


Acesso aberto; Ciência aberta; Métricas alternativas

Texto Completo:

PDF PPT

Referências


Suber P. Open Access [Internet]. SAE Technical Papers. 2012. 173 p. Available from: https://mitpress.mit.edu/sites/default/files/titles/content/9780262517638_Open_Access_PDF_Version.pdf%5Cnhttp://cyber.law.harvard.edu/hoap/Open_Access_(the_book)

Borges MM. “Christmas is over”... Is Spring coming?: a publicação da ciência em Acesso Aberto. In: XII Jornadas APDIS - Investigação, Inovação, Intervenção: Partilha de Conhecimento em Saúde [Internet]. Coimbra; 2016. Available from: http://apdis.pt/publicacoes/index.php/jornadas/article/view/150

Ministério da Ciência T e ES. Ciência Aberta | SOBRE CIÊNCIA ABERTA [Internet]. 2016 [cited 2017 Dec 9]. Available from: http://www.ciencia-aberta.pt/sobre-ciencia-aberta

Souza IVP. Altmetria ou métricas alternativas: conceitos e principais características. AtoZ novas práticas em informação e conhecimento. 2015;4(2):58–60.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.